Quando Darcy Ribeiro pensou no endereço definitivo para Fundação que havia criado, pensou na UnB - Universidade de Brasília, da qual foi fundador e primeiro reitor, um dos muitos projetos pioneiros em que ele imprimiu sua marca ousada e visionária. Em convênio firmado em 1996, a reitoria havia concedido o espaço, e o Memorial começou a ser projetado. Atento ao carinho que nosso instituidor emprestava ao projeto, verdadeira declaração de amor à universidade, o arquiteto João Filgueiras Lima, o Lelé (“o segundo melhor do mundo, depois de Oscar Niemeyer”, segundo o próprio Darcy) projetou cuidadosamente essa morada que deveria abrigar a FUNDAR, e onde ideias e ideais haveriam de frutificar.

Versátil, inovador, o novo edifício teria espaço para tudo o que Darcy e Berta mais prezavam: seus livros, vídeos, documentos, coleções - mas também para apresentações artísticas e culturais, lançamentos literários, além de manter a porta sempre aberta às atividades docentes e comunitárias. Questões administrativas da UnB fizeram com que a proposta do Memorial demorasse anos para ser retomada. Por fim, em 2008, o Conselho Executivo da FUNDAR elegeu esta realização como sua absoluta prioridade e retomou as negociações, reavaliando a proposta e a readequando-a. Por fim, em maio de 2010, foi assinado, no auditório do Ministério da Cultura, o convênio com o MinC e a Universidade de Brasília, prevendo a liberação dos recursos necessários por meio do Fundo Nacional de Cultura.

Uma verdadeira “fábrica-escola” foi montada, então, e tomada pelo labor de operários incansáveis. Apenas cinco meses depois, a “mistura de oca e disco voador” sonhada por Darcy aterrissou, por fim, na praça maior da UnB – para nunca mais decolar. O edifício único, circular, em dois pavimentos de 31,60m de diâmetro e 37m de cobertura, possui na parte central um espaço circular ajardinado com 13m de diâmetro e pé direito duplo. Assenta-se sobre um espelho d´água e está equipado com salas de aula, galeria para exposição, cineclube, gabinetes de pesquisa, centro de documentação, café e livraria. Lâminas de aço pré-pintado funcionam como brises na área coberta com policarbonato e garantem o pleno uso de iluminação natural. Na parte posterior do prédio, foi criada uma elevação com taludes de cerca de 2m de altura, executado com a própria terra resultante da escavação do lago. Voltado para o prédio e parcialmente revestido com placas de concreto, ele forma o teatro de arena. O palco ocupa a parte externa do lago e comunica-se com o prédio através de uma ponte. E o conforto ambiental, nos dois níveis, é proporcionado por um sistema de vaporização resultante da passagem do ar que é introduzido no prédio por meio de nebulização mecânica da água do lago.

Inaugurado em 06 de dezembro de 2010, o Memorial Darcy Ribeiro abriga o Acervo Darcy e Berta Ribeiro e o escritório de representação da FUNDAR em Brasília.