A atuação de Darcy no SPI não se restringiu à carreira de etnólogo. Exerceu também a função de Chefe da Seção de Estudos do Serviço, onde foi responsável pela implementação do Museu do Índio e do Curso de Aperfeiçoamento em Antropologia Cultural, primeiro curso de Antropologia em nível de pós-graduação no país. Funcionando sob os auspícios da Campanha Nacional de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior – CAPES, que tinha como secretário-geral Anísio Teixeira, esse curso destinava-se à formação de pesquisadores aptos a atuar nos aparelhos do Estado, formulando políticas públicas que visassem à solução dos problemas sócio-culturais do país. Além disso, tinha como objetivo contribuir para a consolidação do recém-criado Museu do Índio, pois seus alunos eram estagiários dessa instituição.